Pisos


A escolha de materiais é uma das partes mais difíceis. Exatamente porque as indústrias criam materiais a partir do reúso ou reciclagem (o que se traduz em custos muito  baixos de produção), mas em vez de aproveitar para vender bem, acham que tem que aproveiar a "onda ecológica" e atingir altas margens de lucro o que se traduz em altos preços.

Diga-se de passagem, recentemente, certa renomada fabricante suíça de chocolates teve de fazer um forte treinamento e divulgação entre as lojas brasileiras para convencê-las a vender seu produto por um preço mais acessível, pelo motivo que deveria ser óbvio: melhor vender muitos do que um só muito caro...

Então fica o apelo aos fabricantes para baixarem os preços dos produtos ditos ecológicos e sustentáveis, para preços justos.


Pisos "frios"

File:6"x6" porcelain floor tiles.jpg
fonte: Wikipedia - GNU 1.2 Free License

Inicialmente, pesquisamos materiais feitos com vidro reciclado com aglutinante, mas o custo (mais de R$ 1.000,00 / m²) era proibitivo.

Descobrimos que alguns fabricantes de porcelanatos tomam algumas atitudes sustentáveis. De modo geral, se o site de um fabricante não fala nada sobre sustentabilidade, já pode ser descartado de imediato. Por outro lado, falar e fazer são coisas diferentes, há de se tomar cuidado com pequenas atitudes que podem ser mencionadas só para transmitir uma falsa imagem de empresa "verde".

O que se esperar de uma fábrica de pisos frios:

1) Procurar usar fontes de energia renováveis
2) Reflorestamento com espécies nativas diversificadas e auto-sustentáveis e acompanhamento dos locais das jazidas
3) Tratar e reutilizar completamente a água empregada na fabricação
4) Incluir resíduos e reciclar materiais na composição de seus produtos
5) Praticar preços compatíveis com o produto sem o rótulo de produto "verde"

Piso pra quê?

A grande dica veio de nosso construtor: "Vocês querem ser sustentáveis, certo? Piso pra quê? Por que não usar concreto polido e estampado, já que vai ser necessário usar concreto no contrapiso?"

Concreto estampado impermeabilizado com PU de mamona
Concreto estampado impermeabilizado com PU (poliuretano) de mamona


Piso de concreto revestido com PU de mamona
Piso de concreto revestido com PU de mamona

Na maior parte do piso térreo da Eco-Oca, foi usado concreto liso ou estampado, inclusive nas áreas internas.

Dependendo do gosto de cada um, podem ser adicionadas pedras ou mesmo vidro triturado. Há também o efeito marmorizado (stain) mas não conseguimos encontrar quem o fizesse em nossa cidade.

fonte: Wikimedia Commons
Exemplo de concreto com partículas de pedras.


Nas áreas externas, está sendo dada prioridade ao bloquete intertravado, para melhorar a infiltração de água da chuva e auxiliar na recuperação do Aquífero, além dos poços de infiltração nas áreas onde será mantida terra / grama / vegetação.


Pisos "quentes"

O uso de pisos de madeira e seus derivados têm toda a polêmica de sustentabilidade da própria madeira. A madeira mais ecológica é a advinda de manejo florestal, com certificação, em que é obtida de árvores de grande porte que já estão com idade que poderiam cair naturalmente. Divide-se a floresta em áreas onde se toma o cuidado de garantir que a mata poderá se recuperar e manter sua biodiversidade. É a madeira ideal, mas por ser cara, não se enquadra no nosso conceito de sustentabilidade.

Já madeiras de reflorestamento como eucalipto e pinus possuem uma série de questões: podem ter exterminado uma área de mata nativa para seu plantio, são madeiras de crescimento rápido e nem sempre se prezam a todas as aplicações. As autoclavadas são resistentes a pragas, mas normalmente possuem substâncias extremamente nocivas à saúde, a ponto de serem proibidas em áreas públicas, em alguns países. Não podem ser usadas para cochos de alimentação animal e não devem ser usadas sem EPI (Equipamento de Proteção Individual) tal como máscaras adequadas.

Além disso, aglomerados e compensados normalmente possuem compostos voláteis considerados carcinogênicos (cancerígenos).


Laminados

Acabamos optando pelo uso do laminado de um fornecedor que toma atitudes sustentáveis e cujo produto não exala compostos voláteis. Além disso, a madeira é de reflorestamento com selos FSC e outros. Talvez não seja o ideal do ponto de vista ecológico, mas o preço não é proibitivo (embora caro) e, considerando a boa durabilidade, a reusabilidade, a reciclabilidade (alegada pelo fabricante, pelo menos), o conforto e aconchego nos dormitórios, foi nossa escolha, com relutância. Infelizmente, todo piso produzirá algum impacto ambiental, esperamos estar tomando a decisão correta com minimização dos males.

fonte: Wikimedia Commons



anúncio

Comments